Bate papo com o diretor de produção da Cachaça Baraúna
Entrevistas

Bate papo com o diretor de produção da Cachaça Baraúna

Destilado brasileiro está ganhando força no mercado

Rosa Aguiar Rosa Aguiar
07/01/2021 11:39:40

A Paraíba vem se destacando na produção de cachaça de alambique de alta qualidade e muitas marcas ganharam prêmios importantes em 2020. Foi o que aconteceu com a cachaça Baraúna, produzida no município de Alhandra, que arrebatou seis medalhas nos concursos de Vinhos e Destilados do Brasil e no Concurso Internacional de Destilados de Bruxelas, na Bélgica. A cachaça é o único destilado genuinamente brasileiro, feito exclusivamente de caldo de cana de açúcar. É considerado patrimônio cultural do país e nasceu junto com o Brasil, e vem acompanhando o desenvolvimento se tornando um produto de qualidade cada vez maior. “A cachaça ainda sofre um preconceito muito grande no Brasil, ela é um dos destilados mais nobres do mundo, ainda é melhor tratada fora do Brasil que aqui, mas estamos mudando. É um processo lento e trabalhoso, os produtores estão investindo e tentando desmistificar esse paradigma histórico, informando o publico o que realmente é a cachaça:  um destilado brasileiro fantástico, único.” Quem afirma é o diretor de produção e proprietário da cachaça Baraúna, Alexandre Amorim Rodrigues. A marca promoveu uma degustação online com trinta e cinco convidados, entre empresários, chefs de cozinha e jornalistas, guiados pelo máster blender Nelson Duarte. O objetivo é divulgar e ensinar a beber cachaça com qualidade e responsabilidade. Confira a entrevista. 
- Como foi o início da Baraúna, já que a cachaça é relativamente nova no mercado?
. Iniciamos em 2013, a partir de um sonho do meu pai, que na infância viveu seus melhores momentos no engenho do meu bisavô, em Itambé, em Pernambuco. Começamos sem recursos financeiros, mas com muito trabalho e técnica. Aqui no Engenho Baraúna tudo foi feito por nós, o layout da fabrica, projeto, fabricação e montagem de toda estrutura e equipamentos. Conseguimos terminar as obras civis e mecânicas em mais ou menos um ano, também levamos u ano para regularizar todas a estruturas junto aos  órgãos fiscalizadores. Em 2014 conseguimos realizar a primeira moagem e 2015 conseguimos engarrafar e iniciar as vendas da Cachaça Baraúna.

- Vocês receberam agora, em 2020, prêmios importantes com os rótulos que produzem, tanto em Bruxelas, na Bélgica,  quanto no Concurso de Vinhos e Destilados, aqui no país. Qual a importância desses prêmios?

. Em 2020 foram cinco medalhas, e junto com a de 2019, são seis grandes prêmios para nossos produtos, sendo três a nível nacional e três internacionais, com pouco menos de seis anos de mercado. Em 2019 enviamos a Baraúna Carvalho Premium para o concurso de São Paulo, pensando, principalmente, em uma avaliação dos especialistas jurados, para podermos corrigir alguma falha e poder lançar o produto no mercado. Para nossa surpresa as avaliações foram fantásticas e recebemos uma medalha de ouro. Lançamos ao mercado um produto testado e aprovado pelos maiores especialistas do Brasil. Em 2020 decidi entrar com mais produtos e tentar um concurso internacional. Nacionalmente recebemos duas medalhas e no Concurso de Destilados mais importante da Europa, tivemos o aproveitamento de 100%, todos os nossos produtos que receberam medalhas de ouro. No Brasil só o Engenho Baraúna obteve três medalhas de ouro nesse concurso. Eles são de grande importância para nós, além da visualização dos produtos a nível nacional e internacional, as avaliações dos especialistas confirmam que estamos no caminho correto quanto à qualidade.

. A Baraúna já nasceu com uma preocupação grande com a qualidade. Como isso acontece no dia a dia da produção ?

-Optamos por produzir menos para produzir melhor. O nosso foco é a qualidade, por isso temos controle rigoroso da limpeza em todos os processos de produção. A matéria prima escolhida para a moagem é sempre a melhor do nosso canavial, temos seleção até nas leveduras para fermentação. Nosso cuidado com a qualidade final do produto é nossa obsessão.

. O engenho da Baraúna foi todo construído e é super moderno. Me fala das instalações e novidades.

- Tentamos unir tecnologia com tradição, por isso temos alguns equipamentos desenvolvidos e criados exclusivamente para o Engenho Baraúna, como um  um picador de cana-de-açúcar desenvolvido pelo meu pai, e nossas leveduras são escolhidas e identificadas atrás de tipificação genética, tudo isso sem abrir mão do alambique de cobre com fogo direto como manda a tradição.

. Qual a importância das leveduras na produção de uma cachaça de qualidade?

- As leveduras são os principais colaboradores do engenho, elas que fazem a mágica em transformar açucares em álcool, caldo de cana em vinho, e também são elas que produzem todas as substancias que conferem os aromas e sabores da cachaça. Tentamos aperfeiçoar nossa fermentação escolhendo as melhores leveduras encontradas na nossa região, para essa seleção utilizamos tecnologias inovadoras em parceria com o Grupo Japungu.

. Me fala sobre as cachaças que vocês produzem. 

- Iniciamos em 2015 com a Cachaça Baraúna Tradicional, uma cachaça branca com teor alcóolico forte (42°) porém com uma acidez baixa, e em 2017 lançamos  dois produtos; a Baraúna Umburana, uma cachaça armazenada em barril de Umburana por 6 meses,  e a Baraúna Cristal, uma versão mais suave da Baraúna Tradicional. Em 2019lançamos a super premiada Baraúna Carvalho Premium, um blend de cachaças envelhecidas por quatro anos em barris de carvalho francês e americano.
.

A cachaça é um grande produto econômico Você acha que ela vem sendo bem tratada pelo governo em relação a tributação 
- Não, não vem. A cachaça é um produto genuinamente brasileiro, que faz parte da nossa história e cultura, porém sofre uma taxação superior em relação a outras bebidas de outros países. 

. A Paraíba vem se destacando na produção de cachaça...
- Somos um dos maiores produtores de cachaça. Hoje produzimos cachaça de qualidade em praticamente todas as regiões do nosso estado, desde o litoral ao sertão, e cada produtor com suas identidade e características únicas.

. Você acha que a cachaça está ganhando mais respeito como a bebida nacional ?
- Acho que estamos ganhando espaço, a cachaça ainda sofre um preconceito muito grande no Brasil, ela é um dos destilados mais nobres do mundo, ainda é melhor tratada fora do Brasil que aqui, mas estamos mudando. É um processo lento e trabalhoso, os produtores estão investindo e tentando desmistificar esse paradigma histórico, informando o publico o que realmente é a cachaça:  um destilado brasileiro fantástico, único, que pode ser consumido sem envelhecimento ou envelhecido com uma infinidade de madeiras nacionais e internacionais.
 

FONTE: Rosa Aguiar produzido para o ParaíbaTotal

Rosa Aguiar
Rosa Aguiar
Jornalista
Salão do Artesanato começa nesta quinta, 7
João Pessoa ganha padaria artesanal

Comentários

Quem Somos

Acreditamos que o turismo, atividade de grande impacto econômico e que fomenta uma cadeia de serviços e produtos capaz de mudar a realidade de uma cidade ou país, precisa ser planejado com ações eficazes que preservem as caraterísticas locais, para que traga a verdadeira melhoria na qualidade de vida das populações.