Cachaça Baraúna é Medalha de Ouro em Bruxelas
Gastronomia

Cachaça Baraúna é Medalha de Ouro em Bruxelas

Três rótulos da marca receberam a premiação

Rosa Aguiar Rosa Aguiar
19/11/2020 17:02:59

A cachaça paraibana Baraúna foi vencedora com Medalha de Ouro no 27º Concurso Mundial de Bruxelas 2020. O concurso, bastante renomado, premia os melhores rótulos de destilados em várias categorias, entre elas a cachaça, o uísque, conhaque, aguardente, rum, vodca, gin, entre outras bebidas destiladas que são avaliadas e classificadas por um grupo de especialistas de renome internacional.

A Baraúna, cujo engenho fica localizado em Alhandra, no litoral sul da Paraíba, recebeu três premiações com Medalha de Outro. A Baraúna Carvalho Premium, a Baraúna Tradicional (Branca) e Baraúna Umburana. A edição 2020 teve a participação de um total de 1.400 destilados de 54 países que competiram para ganhar uma medalha de Prata, Ouro ou Grande Ouro. A premiação do concurso deste ano foi feito de forma online, em função da pandemia, mas a degustação dos produtos concorrentes foi feita pelos especialistas, em Bruxelas, na Bélgica. 

O sócio fundador do Engenho Baraúna, José Rodrigues, recebeu com muita alegria mais essa premiação. “É uma honra representar a Paraíba, o Nordeste e meu país num concurso de destilados do nível deste de Bruxelas e conquistar medalhas de Ouro com os nossos produtos. Esse prêmio não é só desafio de produzir cachaça de qualidade com muita responsabilidade, zelo, competência e amor”, disse José Rodrigues. Para o sócio diretor da Baraúna, Alexandre Amorim, o reconhecimento dos produtos são um forte indicativo da excelência de produção e da qualidade da Baraúna. “Os prêmios nacional e internacional que recebemos esse ano é uma prova que estamos no caminho certo, fazendo um produto de qualidade, com preço acessível”, disse Alexandre.

Relativamente nova no mercado de destilados, já que a Baraúna só começou sua produção em 2013, com a Baraúna Tradicional (Branca), a marca veio para se firmar como uma das mais bem feitas do mercado, com aroma, sabor e gosto diferenciado. A Baraúna Umburana só começou sua produção em 2018, enquanto que a Baraúna Carvalho Premium, entrou no mercado apenas 2019. Alexandre explica que a Baraúna Carvalho Premium fica quatro anos envelhecendo em barris de carvalho americano e Francês, enquanto as outras duas cachaças de sua produção precisam de um ano para serem engarrafadas e comercializadas.  “É um processo demorado, que tem um tempo adequado para cada produto”, reforça ele.

O presidente da Associação de Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), José Inácio de Morais, fala da satisfação de ver um produto genuinamente paraibano ser premiado internacionalmente e destaca a qualidade da cachaça paraibana. “A cachaça é uma bebida que possui complexidade, frescor e características especiais. Ela é bem diferente de outros destilados e fabricar cachaça de qualidade é uma arte e nós, da Paraíba, somos privilegiados neste aspecto porque temos aqui a produção de excelentes cachaças, entre elas, a Baraúna, que com esses prêmios conquistados agora passa a ocupar lugar de destaque internacionalmente também”, disse José Inácio

FONTE: Assessoria de Imprensa

Rosa Aguiar
Rosa Aguiar
Jornalista
Pôr do Sol Literário promove debate sobre O Pequeno Príncipe
Ateliê Docelas lança cardápio especial para celebrações de fim de ano

Comentários

Quem Somos

Acreditamos que o turismo, atividade de grande impacto econômico e que fomenta uma cadeia de serviços e produtos capaz de mudar a realidade de uma cidade ou país, precisa ser planejado com ações eficazes que preservem as caraterísticas locais, para que traga a verdadeira melhoria na qualidade de vida das populações.