Fortaleza de Santa Catarina entra no programa de privatização do Ministério do Turismo
Turismo

Fortaleza de Santa Catarina entra no programa de privatização do Ministério do Turismo

Associações culturais da Paraíba protestam e reivindicam apoio

Rosa Aguiar Rosa Aguiar
19/06/2020 17:59:57

Diversas associações culturais da Paraíba se uniram a Fundação Fortaleza de Santa Catarina, localizada no município de Cabedelo, para evitar a inclusão da Fortaleza no programa Revive, lançado pelo Ministério do Turismo. O programa foi lançado na semana passada, e é resultado de uma parceria com governo de Portugal com o objetivo de recuperar imóveis devolutos ou que não estejam sob devido aproveitamento em termos econômicos, de manutenção, ou problemas de outras naturezas, para que sejam recuperados pela iniciativa privada e utilizados em empreendimentos turísticos como hotéis, restaurantes e outros atrativos. Para isso serão realizadas licitações para concessão dos espaços.

“Estamos diante de mais uma decisão desrespeitosa do governo federal para privatizar a Fortaleza de Santa Catarina. Isto é um absurdo. Privatizar a Fortaleza é desconhecer sua história e sua finalidade como patrimônio cultural”, afirma Tadeu Patrício, diretor administrativo da Fundação e mestre em cultura popular.  

A Fortaleza de Santa Catarina é um dos mais importantes monumentos do país e da Paraíba. Construída em 1597, é candidata a se tornar Patrimônio Mundial dentro do Conjunto de Fortes e Fortalezas do Brasil. É umas das mais bem conservadas do país graças ao trabalho das associações culturais que atuam no local, desde 1991, implementando ações de preservação, revitalização e dinamização do patrimônio histórico administrado pela Fundação Fortaleza Santa Catarina, em parceria com as entidades culturais Associação Artística Cultural de Cabedelo – AACC; Grupo de Teatro Amador Alfredo Barbosa – GTAAB; Movimento de Música Popular de Cabedelo – MUSIPOC; Projeto Arte e Cultura Catarina – COEX/PRAC/UFPB; Sociedade Cabedelense de Escritores e Poetas – SCEP; Associação Para Cidadania – Acica; Projeto da Banda de Música 12 de Dezembro; Movimento Cultural de Cabedelo e os Grupos de Culturas populares que realizam suas reuniões, ensaios e projetos culturais no local, entre elas a Nau Catarineta Tradicional, Tambores do Forte, Grupos de Capoeira, Côco de Roda do Mestre Benedito, Lapinha Jesus de Nazaré e Quadrilhas Juninas de Cabedelo. 

A Fortaleza de Santa Catarina abriga vários projetos culturais, entre eles o espetáculo da Paixão de Cristo de Cabedelo, considerado o maior ao ar livre do Estado da Paraíba. Como equipamento de valor histórico também é utilizado em ações educacionais. A Fundação tem parceria com a Universidade Federal da Paraíba. 
“A Fortaleza não é propriedade desse governo, é patrimônio do povo e da história, não cabe a interferência do governo. Não pode virar mercadoria dos projetos de um ministério de Turismo ocupado por burocratas que nem sequer conhecem Cabedelo. Não existe interesse público nessa decisão, e, sim, interesses particulares privados. A população de Cabedelo, o governo do Estado, o IPhan, os procuradores públicos, assim como os parlamentares precisam lutar para rejeitar isso”, afirmou Tadeu Patrício. 
Foi criado o grupo Movimento em Defesa do Forte contra a privatização da Fortaleza, e uma campanha de arrecadação de recursos para serem utilizados na divulgação das ações contra a medida do Governo Federal. Através do endereço eletrônico www.kickante.com.br, com a campanha “Não a privatização da Fortaleza de Santa Catarina” é possível doar qualquer valor. 

FONTE: Rosa Aguiar

Rosa Aguiar
Rosa Aguiar
Jornalista
Unimed João Pessoa usa robô em tratamento de pacientes com covid-19
Elaborado dossiê sobre Wills Leal

Comentários

Quem Somos

Acreditamos que o turismo, atividade de grande impacto econômico e que fomenta uma cadeia de serviços e produtos capaz de mudar a realidade de uma cidade ou país, precisa ser planejado com ações eficazes que preservem as caraterísticas locais, para que traga a verdadeira melhoria na qualidade de vida das populações.