Entrevista Regina Amorim:  A Paraíba está sendo proativa, se preparando para essas novas tendências em economia criativa.
Entrevistas

Entrevista Regina Amorim:  A Paraíba está sendo proativa, se preparando para essas novas tendências em economia criativa.

Gestora de turismo do Sebrae fala sobre a Feira Internacional de Negócios Criativos

Rosa Aguiar Rosa Aguiar
25/09/2019 08:38:41

Estimular a criatividade e a colaboração dentro dos negócios, como forma de promover uma economia da abundância em oposição à da escassez. Essa é a proposta que será debatida durante a Feira Internacional de Negócios Criativos e Colaborativos (Fincc 2019). O evento será realizado desta quarta, 25, até sábado, 28 de setembro, no Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa, e deverá reunir empreendedores, expositores e estudiosos nacionais e internacionais para discutir a temática.  

Para falar sobre o evento, a gestora de Turismo e Economia Criativa do Sebrae Paraíba, Regina Amorim, responsável pela elaboração do projeto de economia criativa para o Estado, contou um pouco sobre as expectativas e objetivos da Feira. " A programação de palestras, músicas e cinema também está bem interessante. As caravanas das outras agências do Sebrae na Paraíba já estão sendo finalizadas", adianta.

Ao longo da conversa, Regina também destacou as potencialidades da Paraíba em relação aos conceitos de economia criativa, "Quando nós estamos trabalhando com negócios criativos, significa que nós também estamos contribuindo para o incremento dessa oferta turística, porque tudo o que está sendo inovado e repaginado, certamente vai dar uma agregação de valor aos produtos turísticos da Paraíba". Na entrevista que segue, ela ainda contou mais detalhes do evento e adiantou que, os participantes logo terão resultados positivos em seus negócios. Confira:

Qual a expectativa da organização para a realização da FINCC 2019?

As expectativas são as melhores possíveis. Primeiro pela localização, o Espaço cultural José Lins do Rêgo trás uma localização equidistante da praia e do centro da cidade. Existe circulação de ônibus urbanos, todas as pessoas já conhecem, fica mais próximo de tudo, e isso facilita muito a visitação. A gente espera, pelo menos 4000 empreendedores e empresários, tanto como expositores, como participantes das palestras e oficinas culturais. A programação de palestras, músicas e cinema também está bem interessante. As caravanas das outras agências do Sebrae na Paraíba já estão sendo finalizadas. A gente também está com caravanas de todos os estados do Nordeste, isso é muito bom essa integração do Nordeste Criativo. Os palestrantes também vão contribuir muito, porque são pessoas formadores de opinião, profissionais com um nível de conhecimento do assunto das novas economias muito grande, e isso vai favorecer a Paraíba, por estar sediando um evento desse nível. A parceria com o Governo do Estado, também, é uma visão bem proativa de que a Paraíba está se preparando para os negócios do século XXI, e para estar sempre a frente com as novas economias, gerando competitividade, inovação, sustentabilidade e inclusão social.

Quais os objetivos que se espera com este acontecimento?

Os objetivos do Sebrae com esse acontecimento, é deixar um legado de preparação de conhecimentos, para planejamentos, inovação e integração desses negócios criativos. Inclusive, nós vamos fazer o lançamento de um aplicativo, onde estão inseridos 60 pequenos negócios criativos que passaram pela consultoria do Sebrae e estão prontos para entrarem no mercado já em uma feira internacional, e isso é muito bacana. O pessoal de musica e cinema também é para estar junto, porque o investimento que estamos fazendo nos palestrantes, escolhidos por profissionais desse segmento que estão aqui na Paraíba, certamente vai trazer um diálogo, uma troca de conhecimento e experiências muito grande. 

A economia criativa e os negócios colaborativos estão em pauta em todo o mundo. Como a Paraíba se posiciona nestas e tendências?

A Paraíba está sendo muito proativa, se preparando para essas novas tendências em economia criativa. Tudo está sendo invado e repaginado. Inclusive, a gente já vem trabalhando com o foco na economia criativa, na experiência e nos projetos de turismo de 2012 a 2016, que foram formatados em 29 municípios da Paraíba, e que isso deu um grande diferencial na oferta turística da Paraíba. Então, quando nós estamos trabalhando com negócios criativos, significa que nós também estamos contribuindo para o incremento dessa oferta turística.

 

Quais exemplos temos de mais forte em relação à esses conceitos na Paraíba e no Nordeste?

Com relação a exemplos mais fortes que temos em relação a esses conceitos da Paraíba e do Nordeste, eu acredito que a gente tem muita coisa. Ainda não existe esse nível de consciência, que esses pequenos negócios fazem parte dos negócios criativos, mas, somos muito bons na música, cinema, artesanato, gastronomia e design, fica difícil  até a gente elencar. Mas, essa Feira Internacional de Negócios Criativos e Colaborativos é exatamente para isso, a nossa parte de tecnologia da informação, comunicação e startups, também estamos indo muito bem. São exemplos que vão estar na feira, e que vão propiciar essa troca de conhecimentos, parcerias e certamente todos vão ganhar.

Ao final, o que os empreendedores ganham em conhecimento e realizações ao participar da feira, como empresa ou pessoa física?

Eu costumo fazer uma conta muito simples. Muitas vezes, a gente não consegue enxergar que 1350 em quatro dias pode gerar, no mínimo, dez vezes mais valor de negócios. Talvez, seja até melhor do que um investimento em bolsa de valores, ou alguma outra coisa assim, por esse valor. Então, vale a pena rever, porque as oportunidades precisam ser vistas pelos empreendedores e empresários, como únicas. Se ele não ousa o investimento de 1350 para fazer novos negócios, conhecer novas pessoas, fica muito difícil avançar, principalmente no mercado onde as mudanças acontecem de forma exponencial. Então, não dá pensar "vou guardar 1350 para comprar alguma coisa para vender no Natal", tem que estar investindo agora, com novos clientes, novos fornecedores e novos negócios, porque a feira é exatamente essa preparação para você garantir novos negócios competitivos, pelos menos, para os próximos seis meses. Fica a dica, a Paraíba pode ganhar muito com essa Feira Internacional de Negócios Criativos e Colaborativos,  e quem participar nós veremos os resultados logo a seguir, isso eu tenho certeza. 

 

FONTE: Vivass Comunicação

Rosa Aguiar
Rosa Aguiar
Jornalista
Ronaldo Fraga abre programação da FINCC 2019 com palestra "Moda Além da Roupa"
Primeiro longa metragem de Torquato Joel estreia nesta quinta, 26,  em 20 cidades do Brasil

Comentários

Quem Somos

Acreditamos que o turismo, atividade de grande impacto econômico e que fomenta uma cadeia de serviços e produtos capaz de mudar a realidade de uma cidade ou país, precisa ser planejado com ações eficazes que preservem as caraterísticas locais, para que traga a verdadeira melhoria na qualidade de vida das populações.